4 Alternativas saudáveis aos Cereais de Pequeno-Almoço das Crianças

4 Alternativas saudáveis aos Cereais de Pequeno-Almoço das Crianças

Pequeno-almoço e cereais (cereais de pequeno-almoço) são duas palavras que parecem estar sempre associadas (pelo menos de há umas décadas para cá), aos pequenos-almoços das crianças! Uma tacinha inocente, colorida ou com bonequinhos, de cereais de pequeno-almoço para uma criança, é capaz de juntar numa só refeição um, ou mais, tipos de açucar, gordura e sal! A verdade é que as marcas vendem como saudável, algo que contém aditivos diversos, convencendo muitas mães de que estão oferecer aos seus filhos uma refeição saudável e equilibrada ao pequeno-almoço.

 

O que há então de saudável nos cereais de pequeno-almoço que habitualmente se dão às crianças?

Nada, apenas o cereal! Os restantes ingredientes são absolutamente dispensáveis, porque o que interessa aqui é o consumo do hidrato de carbono per si juntamente com o leite/iogurte, e com os extras que se lhe quiser adicionar, por forma a proporcionar uma refeição nutritiva e completa, fornecendo doses adequadas de energia, para dar início a mais um dia!

Neste post não me vou focar especificamente em marcas de cereais de pequeno-almoço, nem em categorias porque a oferta destes produtos no mercado, está muito equiparada. Desde as mais conhecidas Kellogg´s, Nestlé até à lusa Nacional, passando pelas marcas brancas dos distribuidores.

Porém posso adiantar que há cereais de pequeno almoço com valores de açucar que começam em 7g e podem ir até a uns escandalosos 33g por 100g de produto, (a dose diária recomendada pela Organização Mundial de Saúde é de 25 gramas), imaginem só!

Os famosos Corn Flakes da Kellogg´s, por exemplo, (até são dos menos maus em termos de açucar) contêm cerca de 7/8g, ou seja o equivalente a um pacote pequeno de açúcar.

Na categoria cereais de pequeno-almoço não estou apenas a incluir os habituais cereais tufados, açucarados ou caramelizados de arroz, trigo, milho, cevada, etc. Há marcas que também têm cereais de pequeno-almoço tipo mueslis e granolas, vendidos como mais saudáveis, e que aportam doses surpreendentes de açúcar ou de mel, dobrando por vezes ou triplicando os valores dos Corn Flakes. E é aqui que chegamos à parte que interessa.

Mas então o que posso dar que constitua uma alternativa saudável aos cereais de pequeno-almoço e que seja igualmente, prático, rápido e fácil de preparar?

Bem sei que um dos calcanhares de Aquiles das famílias de manhã é o tempo, e que a questão prática é muito importante, mas se nos dissessem que podíamos dar algo na mesma prático e ainda muito mais nutritivo do que os habituais cereais de pequeno-almoço, nem pestanejávamos.

Pois bem escolhi 4 alternativas aos cereais de pequeno-almoço equivalentes, quer em termos de tempo de preparação, quer em termos de sabor, porque sabemos que os miúdos podem estranhar desde logo algo que não tenha o mesmo aspeto. Estas alternativas são:

  • Rápidas – Pois levam o mesmo tempo a preparar.
  • Equivalentes – Em termos de apresentação, textura e sabor.
  • Mais saudáveis – Pois não contêm açucares adicionados.
  • Mais nutritivas – Com elevado potencial para se tornarem autênticas bombas nutricionais.
  • Fáceis de encontrar à venda – Online, em lojas de produtos naturais ou em hipermercados.

 

Vamos lá então conhecer cada uma delas para ficarem a saber tudo deste mundo alternativo aos convencionais cereais de pequeno-almoço!

1. Corn flakes sem açúcar

São pedaços de milho crocantes transformados num género de flocos de milho simples e sem quaisquer aditivos. Alguns não têm mesmo nada adicionado, outros podem ter sal. Atentem apenas na quantidade de sal, e se não for escandalosa, avancem. Aqui em casa são um dos favoritos com canela e uma fruta à mistura.

2. Cereais tufados

E aqui a variedade é tal (espelta, trigo, cevada, millet, quinoa…) que podem quase oferecer um cereal diferente a cada dia da semana. São cereais tufados sem mais nada adicionado, também chamados de cereais expandidos ou cereais puff. Não sabem a nada, mas vão lindamente com outras coisas à mistura. Também costumamos usar para toppings de papas, ou juntar num iogurte com frutos secos e fruta, mas como os miúdos mais os gostam de os comer é mesmo sem nada, e à mão. Acham que estão a comer pipocas. Numa taça com leite e uns truques que vos dou abaixo, passam muito bem por cereais do mal! 

3. Granola caseira

A granola sendo algo tão rápido e tão fácil de fazer em casa, acabo por quase nunca comprar fora. Além de que se pode fazer em quantidades industriais e ter sempre pronto a consumir. Na minha granola caseira apenas adiciono uma colher de maple syrup para um tabuleiro enorme, uma quantia absolutamente irrisória. Se optarem por comprar uma mistura de cereais para fazer granola, escolham aquelas que não contenham mesmo nada adicionado. Ao comprar uma granola prestem atenção ao adoçante que é usado, e nos ingredientes que tem adicionados além do adoçante (pode ser açúcar, mel, malte de cevada, melaço, geleias de cereais, etc.) e à quantidade de adoçante (quantos tipos e quantas gramas por 100g). A granola deve conter apenas um adoçante e os próprios componentes (frutos, cereais, sementes, etc) nos seus ingredientes. A granola tem um aporte nutricional elevadíssimo pois junta numa só fórmula flocos, sementes, frutos desidratados e oleaginosas. Uma bomba de energia matinal para começar bem o dia!

4. Flocos de aveia finos

Se a ideia for mesmo a de preparar na hora os flocos de aveia finos são sem duvida os mais indicados, pois dissolvem-se de forma quase instantânea quando comparados com outros flocos. À taça de leite com flocos de aveia costumo adicionar canela (aqui em casa é obrigatório!). Depois vou variando outro tipo de ingredientes em pó para enriquecer: côco ralado, amêndoa moída, sementes de cânhamo, sultanas, bagas goji, são apenas algumas sugestões. Adaptem ao gosto dos vossos miúdos. Outros flocos que também podem ser usados são os de quinoa ou de trigo sarraceno, por serem flocos mais finos e mais pequenos, embora ainda se possam triturar um pouco mais, para uma dissolução mais rápida. Pessoalmente considero que são opções mais caras e menos fáceis de convencer, mas não deixam de constituir uma alternativa. 

Mas agora vocês vão dizer-me que só o leite com estes flocos, sem mais nada adicionado, vai ficar um grande desconsolo, que os miúdos estão habituados ao sabor doce e vão estranhar, que estão familiarizados com os cereais habituais, e que vão rejeitar estas alternativas demasiado saudáveis. 

 

E eu deixo-vos com 4 Dicas para uma transição mais bem sucedida:

1. Adoçar o leite e não os cereais. Como?

  • Usando um leite vegetal que penda mais para o doce (sem açucar adicionado), por exemplo o de arroz ou o de coco.
  • Adicionando frutos secos, uma tâmara ou uma ameixa seca, depois triturar com o leite, com a varinha mágica, antes de colocar o cereal.
  • Dissolvendo uma colher de uma manteiga de uma oleaginosa (por ex. de amendoim ou de amêndoa) e mexendo bem antes de adicionar o cereal.
  • Dissolvendo um pouco de um puré de fruta (por ex. de maçã ou de pêra).

2. Vão por partes.

Não façam tudo de uma vez, experimentem comprar primeiro os cereais mais parecidos com o que eles costumam comer habitualmente, e comecem por criar uma aproximação fiel da receita. Depois paulatinamente vão testando outros cereais.

3. Incentivem à adição de fruta.

Quer seja fresca ou desidratada. As frutas de verão permitem isso mesmo (podem-se usar framboesas, amoras, mirtilos, morangos…). A adição da fruta vai ajudar o preparado a ficar mais docinho.

4. Provem as receitas primeiro.

Façam as experiências prévias necessárias. Mostrem que é bom e que faz bem, e que por fim, vocês também comem. O exemplo começa em nós,  somos uma referência para os nossos filhos, daí também a importância da partilha nestes momentos, numa lógica de até os contextualizar do que está na taça. A maioria das crianças não sabe o que está a comer, basicamente, aceita o que lhe dão consoante o gosto (ou não-gosto) e consome aquilo que está no prato. A tendência de nós pais, é sempre ajustar ao gosto deles, mas é importante também explicar-lhes o que têm no prato, e os benefícios que os alimentos trazem para a sua/nossa saúde. Deste modo acabamos por estar a criar crianças mais conscientes, que provavelmente irão questionar mais, ao mesmo tempo que lhes damos ferramentas para fazerem escolhas e tomarem decisões mais informadas e acertadas no futuro.

Tanta informação, para onde me viro? O que compro e onde compro?

  • Hipermercados – Algumas das opções que dei estão disponíveis em muitos hipermercados na zona de produtos naturais/opções saudáveis. Embora alguns tenham mais variedade que outros.
  • Lojas físicas – Bio-mercados, lojas a granel, supermercados biológicos ou mercearias biológicas.
  • Online – A melhor e mais prática, em lojas bio/ecológicas online. Eu costumo comprar na Efeito Verde.

Até 7 de Agosto a Efeito Verde está com 15% de desconto em toda a categoria de Cereais, Grãos, Farinhas e Flocos. Só têm que colocar o cupão CEREAIS-MIDZU na caixa que diz “Cupão de Desconto” do “Cesto de Compras”, no momento da compra no site, e clicar em “Atualizar” para terem o desconto imediato.   

Podem ver algumas das opções que dei acima, assim como toda a restante gama de cereais Midzu da Efeito Verde aqui! Lá também vão encontrar outros artigos desta categoria em promoção com 20% a 30% de desconto, mas este desconto é acumulável com outras promoções, por isso aproveitem!

Bem como vêem não é assim tão complicado encontrar opções equivalentes aos cereais de pequeno-almoço em termos de aspeto, muito mais saudáveis, e com mais umas nuances, ainda mais nutritivas! Espero que este artigo também vos inspire para porem em prática com os miúdos ou convosco caso pretendam também fazer algumas mudanças alimentares.

 

***************

O Open Food Facts é um site que coleciona informação de produtos de todo o mundo, descrevendo as suas características, ingredientes, informação nutricional, e que os classifica de acordo com um Nutriscore. Podem ter acesso à ficha técnica dos Corn Flakes Kellogg´s (embora sejam os que se vendem em Itália) aqui.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *