Húmus de Grão + 4 Dicas para ficar mais cremoso

Húmus de Grão + 4 Dicas para ficar mais cremoso

O húmus dispensa qualquer tipo de apresentação. É um clássico do Médio Oriente e um habitué cá de casa. Normalmente faço como entrada mas os miúdos adoram acompanhar a refeição com húmus e palitos de vegetais (cenoura, pepino ou aipo). Também gostamos muito de comer húmus com falafel e pão de pita. Cada um faz o seu próprio wrap com vegetais crús e falafel à mistura.

Quando estive em Israel tive a oportunidade de experiementar imensas variedades diferentes de húmus, cada uma melhor que a outra. Aqui em casa vario normalmente entre esta versão clássica e esta de batata-doce, que é ótima. Também gostamos muito do babaganoush, um húmus de beringela típico também do Médio Oriente. A ver se cá ponho a receita em breve.

Para mim o que distingue realmente esta minha receita é a raspa de limão. Acho que fica com um toque aromático muito bom que ajuda a disfarçar o sabor mais intenso que o grão cozido pode ter.

 

Nas minhas incursões pela internet descobri uma receita do Chef israelita Michael Solomonov, proprietário do conhecido Restaurante Zahav em Filadélfia, que tem alguns truques para fazer um húmus mais cremoso e uma receita de húmus feita com base nesses moldes.

 

Cada uma destas dicas pode aplicar-se também à minha receita de húmus, mas se pretenderem uma versão mais prática e rápida, saltem diretamente para a receita abaixo e em 5 minutos têm o vosso húmus de grão pronto.

 

4 Dicas para um húmus de grão ainda mais cremoso:

1. Demolhar o grão de véspera, em muita água, com uma colher de chá de bicarbonato de sódio.

Como o grão vai inchar será necessário colocar muita água. Depois escorrer o grão e colocar numa panela com 1 colher de chá de bicarbonato de sódio coberto, com cerca de 10cm acima. De seguida por o grão a cozer com o lume no máximo até levantar fervura, retirando algumas partículas que subam à superfície.

2. Cozer o grão pelo menos 1 hora

Quando a água começar a ferver, diminuir o lume para o médio, tapar a panela e deixar cozer durante pelo menos 1 hora, até o grão se desfazer. Escorrer o grão.

3. Não descascar os dentes de alho

Colocar os dentes de alho com casca num processador com o sumo de limão e uma colher de chá de flor de sal e picar bem até se obter uma pasta. Deixar repousar pelo menos 10 minutos e coar esta mistura por um coador de tela muito fina (também se pode usar um pano de voal). Depois descarta-se a parte sólida das cascas de alho e junta-se o tahini a este líquido. Triturar e durante o processo juntar 6cl de água gelada.

4. Triturar o grão durante mais tempo do que o habitual

Quando a mistura anterior estiver bem homógenea, juntar o grão e os cominhos e continuar a bater por mais 2-3 minutos. Parar de bater somente quando o creme tiver atingido uma textura aveludada. Depois é altura de provar e retificar temperos, se necessário, adicionar um fio de azeite, polvilhar com sementes de cominhos, paprika e salsa. Podem ver a receita completa do Chef Solomonov aqui

Vamos lá à minha receita então, a foto é da minha amiga Sofia – Um Capítulo! Espero que gostem.

 

Ingredientes

  • 2 chávenas de grão cozido
  • 1-2 colheres de sopa de tahini
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 1 dente de alho
  • sumo e raspa de 1 limão
  • água qb para se obter uma textura cremosa
  • 2 colheres de chá de cominhos (prefiro usar em sementes do que em pó) – pitada de pimenta preta
  • flor de sal
  • fio de azeite e sumak/paprika ou sementes de cominhos, pimenta preta e pinhões para polvilhar

 

Como se faz o húmus de grão?

1. Coloca-se o grão, o tahini, o azeite e o sumo de limão num processador de alimentos e bate-se. Junta-se o alho, a pimenta e os cominhos e continua-se bater (cerca de 2-3 min.), adicionando aos poucos a água para se obter um puré mais fofo e cremoso.

2. Na hora de servir rega-se com um fio de azeite e sumak (uma especiaría típica do Médio Oriente) ou paprika. Também se pode optar por colocar pimenta preta, sementes de cominhos e pinhões.

3. Leva-se ao frigorífico para servir fresco. Eu prefiro fazê-lo com umas horas de antecedência, ou mesmo de véspera, para a mistura maturar os temperos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *